Ouvindo: “Campo Belo”, de Anthony Wilson

campo-belo.jpg

Fiquei devendo esse post por algumas… Semanas? Meses? Enfim, desde o último post sobre música aqui no blog, quando falei do Chico Pinheiro, fiquei de escrever sobre o Anthony Wilson. Mais especificamente sobre esse disco, que ficou por bastante tempo entre os meus favoritos.

Contextualizando para quem não sabe quem é: Anthony Wilson é um guitarrista norte-americano, há mais de dez anos tocando com Diana Krall e que chegou aos meus ouvidos graças ao álbum “Nova”, de 2008, que foi realizado em parceria com Chico Pinheiro. A propósito, esse não é o único trabalho deles juntos, teve ainda outro disco (“Seasons: live at the Metropolitan Museum of Art”, que também conta com Steve Cardenas e Julian Lage), do qual falarei outro dia.

Sobre “Campo Belo”, que foi lançado lá em 2011: não é só o título que é familiar para a gente. O álbum inteiro pode ser considerado uma ode à musicalidade brasileira, já que foi todo gravado em São Paulo, com uma banda de apoio totalmente formada por músicos brasileiros: André Mehmari no piano, Edu Ribeiro na bateria, Guto Wirtti no baixo, Joana Queiroz no clarinete e Vitor Gonçalves no acordeon. Esse time participou da fusão do que há de melhor no jazz com ritmos que só existem aqui no patropi.
O álbum todo é muito bom, mas tem uma música que tocou meu coração e garantiu seu lugarzinho na trilha sonora da vida: “Valsacatu”.

Eu não sou chegada a maracatu nem nada, tudo o que sei sobre ele é muito superficial, mas tenho um orgulho enorme de Pernambuco e ouvir a percussão típica do maracatu misturada com o jazz (que eu amo) fez meu coração acelerar. Tenho certeza que no dia em que eu estiver morando fora, essa vai ser uma das músicas que vai me fazer chorar de saudade das coisas daqui.

(Eu nem tinha notado que era tão bairrista…)

Outra música que eu destacaria dentre as melhores do disco é “Flor de Sumaré”. Repeti tantas vezes “Valsacatu” que nem prestei atenção à faixa que vinha depois dela, mas um dia deixei a tracklist avançar e percebi o quanto “Flor…” é uma música delicada, fazendo jus ao título.

A faixa-título, que também é a que abre o disco, me lembrou um pouco uma marcha, como se fosse uma versão mais lenta de uma bandinha marcial de cidade do interior (espero que dê pra entender) em fim de desfile de sete de setembro.

(Aproveitando a oportunidade para registrar algo nada a ver com o assunto: esse ano eu soube de uma banda marcial que tocou “Malandramente” no meio do desfile e eu precisava compartilhar isso – e gostaria de ter visto também.)

A arte da versão física do álbum é a única coisa que não tem dedo brasileiro no meio: foi feita pela artista Asuka Ohsawa (tem ilustrações L-I-N-D-A-S no site dela, vejam!). A ilustração é linda, com essas criaturazinhas com calças de Arlequim e cabeças de cone, tocando instrumentos de sopro. ^_^

“Campo Belo” está disponível em plataformas de música digital e também no site https://anthonywilson.bandcamp.com/album/campo-belo, onde também é possível comprar todo o álbum ou músicas separadas. Aproveitem também para ouvir “Frogtown”, seu lançamento mais recente! 😉

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s