Mais de um mês depois…

Comecei o acompanhamento nutricional funcional no dia 08 de outubro e desde então estou seguindo uma dieta nova e bem regrada. Só abri uma pequena exceção no aniversário da minha sobrinha postiça, no dia 22, e na noite do mesmo dia, eu já estava de volta à programação normal. O objetivo principal era regularizar minha saúde, que estava bem esculhambadinha (pangastrite, duodenite, amenorreia, só maravilhas). Passei os primeiros trinta dias sem consumir nada que contivesse glúten e lactose, e investindo em frutas, legumes, alimentos sem corantes e outros corantes e temperos artificiais. Foi basicamente um reaprender a comer, como uma criança. E eu passei boa parte da infância sendo chatinha pra comer, então avalia…

O começo é difícil, mas agora que passaram os primeiros 45 dias, acho que está mais tranquilo, e não sinto mais falta dos biscoitinhos… Se bem que pretendo voltar a fazer minhas próprias receitas muito em breve em vez de consumir os industrializados, é só o trabalho dar uma aliviadinha.

Com vocês, o que mudou em mais de um mês de reeducação alimentar:

1. This is just to say
I have eaten
the plums
that were in
the icebox

and which
you were probably
saving
for breakfast

Forgive me
they were delicious
so sweet
and so cold (William Carlos Williams)

Pois: esse poema me veio à cabeça quando provei ameixas frescas pela primeira vez… e gostei! Eu tinha um baita preconceito com ameixas, ainda hoje não gosto de ameixa seca, bolo de ameixa eu nunca curti, não vou mentir… Mas as ameixinhas entraram pro meu cardápio, gosto do sabor e sempre recito William Carlos Williams mentalmente antes de comer.

Mas não me venha com ameixa seca, que eu não vou comer.

2. Totalmente sem açúcar (ou quase…)

Quando teve o aniversário da Marina, comi um docinho aqui, outro ali… Mas como no dia da festa já fazia duas semanas que eu estava na dieta, achei um simples beijinho de coco doce demais. Quase todos os sucos que tomo na rua são sem açúcar e não sinto falta, de verdade. Meu organismo está se adaptando a não receber açúcar refinado.

3. Ai, os queijos…

Minha maior dificuldade está sendo com os queijos. Amo queijo de todo tipo, e venho tentando pegar leve nesse item. Ainda não provei tofu, mas é algo que vou fazer em breve para tentar reduzir ainda mais na quantidade de queijo que consumo. Provei uma versão lac-free da Verde Campo, que tem quebrado o galho.

4. Os grãos

Tenho um pouco de dificuldade com feijões (estou superando aos poucos), mas descobri que grão de bico e lentilhas são ótimas opções para substituir. São presença garantida na minha marmita. (como fora raríssimas vezes, desde o episódio de gastroenterite do ano passado).

5. Sazon não!

Dia desses eu me senti um pouco mal, depois de comer algo que estava temperado com um pouco de caldo de galinha, daqueles artificiais. Logo, o mal estar foi proporcional à quantidade de tempero sintético presente no prato (e se tivessem colocado mais, eu tava era lascada)

6. E quando tem festa?

Não vou ser a chata do rolê e ser a única a não comer bolo e um doce aqui e outro ali num aniversário ou casamento. Sábado passado mesmo comi um pedaço de bolo e fiquei de boas (meu estômago não doeu! YAY!). O problema é tornar o tal de comer esses lanchinhos uma coisa constante. Uma vez ou outra (nos eventos especiais que acontecem) eu vou comer sim, e com gosto, bolo, doce de leite, coxinha, pizza, lasanha, essas coisas. Mas num geral, vou manter os hábitos aprendidos. Levei mais de 20 anos pra me organizar em termos de alimentação, não é agora que vou dar pra trás, né?

Resumidamente, não tenho passado fome, tenho descoberto algumas comidas, o sono melhorou (não que estivesse exatamente ruim, mas deu um upgrade),  humor estabilizou e não ando mais tão inútil pelos cantos (semanas antes da dieta, eu andava tão sem energia que estava me sentindo um pano de chão, fui falar com meu médico e foi assim que tudo começou). Acabou dando uma diferença legal na balança também (- 4Kg) Também faz algum tempo que não tenho uma gripe… Imunidade baixa era meu principal sinal da TPM, agora não sei mais como identificar… E o ciclo tá aí, se arrastando. 😦 Deve ser sinal da SOP (Ovário Policístico, para os leigos), e teremos de tomar outras providências a respeito.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s