Assistido: “A mulher do supermercado” (Sûpâ no Onna)

Este é um filme japonês, de 1996, escrito e dirigido por Jûzô Itami. Cheguei a esse filme movida pela curiosidade de ver uma produção japonesa que não fosse um live action como Patrine, Winspector e todos aqueles seriados maravilhosos que passavam na TV Manchete nos anos 90.

O plot do longa é simples: trata-se de um supermercado que vai mal das pernas, administrado (ou não muito…) por um viúvo que se apresenta ao espectador como um sujeito desleixado; e o empreendimento é ameaçado por um novo mercado que atrai vários consumidores com suas promoções mirabolantes (e, por isso mesmo, tentadoras). Na iminência de fechar, Goro (Masahiko Tsugawa), o dono do mercado menor, encontra Hanako (Nobuko Miyamoto), uma ex-colega dos tempos de escola, também viúva e entendedora de marketing, ao menos empiricamente. Ela põe sua experiência de dona de casa e suas habilidades de lidar com o público para tentar salvar o Goro Honesto da falência. Como diz a abertura do filme, é sobre um supermercado que encontramos facilmente perto de onde moramos.

supa-1996

A realização me pareceu tão simples quanto a sinopse em si. A fotografia é econômica, não tem muitas variações de câmera – tem uma cena lá pelo meio do filme em que Goro e Hanako empurram um carrinho na direção do outro durante uma discussão (o que marca também os turnos de fala das personagens) e em vez de alternar o foco naquele que estivesse falando no momento, a câmera ficou parada, mostrando os dois e toda a cena acontece mostrada de um único ângulo, com pouquíssimo movimento, no máximo um zoom in perto do final, um tilt de leve. Esse é um dos exemplos que mais me chamou a atenção para a “economia” de câmera e a simplicidade do filme. Em alguns momentos também acontece da Hanako falar diretamente olhando para a câmera, mas não seria como se falasse com o público e sim com outro personagem dentro da cena (geralmente os clientes, que aparecem depois). É diferente do que vi no “La Moglie in Vacanza…”, em que os personagens falavam era com o público mesmo, como em uma peça de teatro.

Houveram dois pontos dentro do roteiro mesmo que para mim, poderiam ser melhorados: primeiro a relação entre Goro e Hanako, que teve uma tensão sexual que não funcionou direito. Tá certo que eles são viúvos e poderiam se envolver afetivamente, mas a tentativa me soou infrutífera. Poderia ter passado sem isso, não faria nenhuma falta. Segundo, duas horas de filme me pareceu tempo demais para uma história muito simples. Meia hora de filme poderia ser cortada dinamizando mais algumas cenas, como as repetidas vezes em que Hanako discute com o subgerente e o pessoal responsável pelas carnes, além de, claro, suprimir as tentativas de fazer um romance entre os protagonistas.

Tirando esses detalhes, é bacana ver a evolução do supermercado e a gente que vai às compras com frequência consegue até identificar algumas características nos lugares que frequentamos. O sinal da mudança é basicamente nos personagens, em como eles se portam (principalmente as meninas dos caixas, que têm a participação ampliada ao longo do filme).

Em resumo, esse é um filme leve, sem fortes emoções, legal para assistir depois de um dia de trabalho.

(Click the link below to read the post in English!)

This is a Japanese film from 1996, written and directed by Jûzô Itami. I was curious about seeing a japanese production which weren’t a live action like Patrine, Winspector and all those series brazilian children born in the 80’s loved.
The feature’s plot is quite simple: a supermarket that is not doing well, managed by Goro ( Masahiko Tsugawa), a widower who is shown to the audience as a reckless man. His market is threatened by a brand new market which atracts dozens of customers with special discounts. Getting closer to shutting down, Goro meets Hanako (Nobuko Miyamoto). She is an old friend from elementary school, who is also a widow and seems to understand a lot about marketing. She helps him out with her experience as a housewife to save his supermarket from bankrupcy. As the film opening says, it is about a supermarket we may find in our neighborhood.
The filmmaking seemed to me as simple as the plot. Photography doesn’t have much effects of angle variations – there’s a scene in the middle of the filme in which Goro and Hanako are having an argument and they are pushing a cart towards each other (this movement also marks the alternance of turns during the dialogue). The camera could show them alternatively, but the whole action was shown through only one angle, with very few camera movements. It was one of the most remarkable examples of what I would call simplicity. In a few moments we notice Hanako talking to the camera, but it is not as if she was talking to the audience, but to another character that appears later in the scene, like the customers.
There were two points in the story/screenplay development that could have been improved: first the relationship between Goro and Hanako, which had a “sexual tension” that didn’t seem to work well. Second, the film is two hours long and for me it was too much for a simple plot. It could have had around 30 minutes less, by making a few scenes more dynamic, like the several arguments Hanako has with the staff of the supermarket and cutting out the romance.
Apart from these details, it is nice to see the evolution of the supermarket; and people who go shopping very often can notice some characteristics of markets we visit in our neighborhood. The main sign of evolution in the story is noticed through the secondary characters’ behavior (especially the cashiers, who gain more lines and importance through the film).
In summary, “Supermarket Woman” is a light movie, without strong emotions. Pretty nice for watching after a long and tiring day in the office.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s