Retrospectiva (breve) de leitura 2017

Esse ano, estive engajada pela primeira vez em um desafio de leitura do Goodreads. Hoje, finalmente, zerei a lista de livros ‘currently reading’! Viva!

Eu já tinha falado num post passado que a lista de livros para serem lidos só aumenta, mas vou detalhar mais sobre isso depois. Agora eu quero compartilhar os últimos livros lidos que eventualmente não foram comentados aqui, porque ando uma blogueira relapsa.

Começando pelo último, o que levou mais tempo para ser lido, embora seja relativamente breve. A Room of One’s Own é um ensaio de Virginia Woolf sobre a relação entre mulheres e ficção, o espaço da mulher no ofício criativo em relação ao homem. Embora eu tenha levado MESES pra terminar de ler, recomendo pela pertinência do tema

Essas belezinhas (Alice no País das maravilhas e Alice através do espelho) foram compradas no Festival do Livro em Ipojuca. Gosto muito do universo de Alice e especialmente de clipes que foram inspirados nela, como Sunshine, do Aerosmith e Don’t come around here no more, do Tom Petty & The Heartbrakers. Como tinha lido há vários anos (provavelmente, versões adaptadas), comprei sem pestanejar.

Não dá para dizer que Na minha pele é uma autobiografia do Lázaro Ramos. Isso porque embora ele exponha fatos de sua vida desde a infância na Ilha do Paty até o início da carreira, não é só isso. Ele usa seu espaço para abordar de uma forma muito legal temas densos como a discriminação racial. Outro livro que recomendo pela pertinência do tema.

Não consegui registrar Menos é mais, do André Botelho, no Goodreads, então ele não entrou na conta oficial; então vem para cá. É um livro super curtinho, que a gente pode ler até em um dia só (mas li em dois, num ritmo mais lento) e nos leva a refletir sobre questões da vida moderna que nos afastam dos ensinamentos de Cristo.

Até um dia desses eu nunca tinha lido O pequeno Príncipe. Aí aconteceu a oportunidade. Confesso que chorei em alguns trechos…

Também tiveram alguns e-books: Agorafabulous, da Sara Benincasa, que muito me alentou numa fase difícil desse ano; A arte de fazer acontecer, sobre o método GTD; The Year of yes, da Shonda Rhymes (muito, muito inspirador!); Americanah, da Chimamanda Ngozi Adichie… Alguns foram comentados aqui, outros não. Enfim, fica a resolução para o próximo ano: fazer mais registros do que ando lendo aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s