Diário de viagem: Penedo/AL

Começamos 2020 colocando o pé na estrada. A primeira parada foi a cidade de Penedo, em Alagoas – que muitos devem conhecer por ser a cidade do Carlinhos Maia. Mas, para além disso, é uma cidade cheia de história para contar, dos tempos imperiais!

A cidade recebeu esse nome por ter sido fundada sobre um rochedo (ou… penedo) e está bem às margens do São Francisco. É possível fazer a travessia do rio para chegar a Sergipe, só não fizemos a travessia dessa vez porque o tempo estava curto e a gente já tinha feito o passeio quando estivemos em Piranhas.

Duas coisas me encantaram na cidade: primeiro, a arquitetura, que em muito conserva as características do período imperial; em especial na parte mais central, onde ficamos hospedados. Além das igrejas, há espaços como a Casa de Aposentadoria, o Oratório (que tem uma história bem pesadinha: era lá que os presos passavam a noite orando antes de seguirem para o enforcamento). A sede da prefeitura mantém o estilo. E ainda tem um mirante bem legal, de onde se pode ver o rio. Lindo! ❤

GEDC1825.JPG

GEDC1839.JPG

GEDC1834.JPG

GEDC1852.JPGGEDC1843.JPG

Outra coisa que eu achei bastante interessante é a tranquilidade. Talvez o fato de termos ido em um final de semana do começo do ano tenha tido alguma influência nisso, mas mesmo assim, fiquei impressionada com o fato de muitas coisas fecharem bem cedo. Na rua do hotel onde nos hospedamos, até uma sorveteria estava fechada à noite no sábado! Em outra rua, tinha outra unidade da mesma sorveteria que estava aberta, e lá tomei um açaí. 🙂

Dos lugares que tive a oportunidade de conhecer em Penedo, o que mais me encantou foi o Teatro Sete de Setembro, que vem a ser o mais antigo de Alagoas e o oitavo mais antigo do Brasil, e segue em atividade, recebendo peças de companhias alagoanas, bem como de outros estados; encontros de corais, etc.

20200103_18344120200104_11040520200104_110400

Nos hospedamos no Hotel São Francisco, que está em atividade desde a década de 1960 e mantém um serviço excelente: os quartos são amplos, varandas com uma bela vista e o restaurante, muito bom. Foi uma das raras vezes em que almoçamos e jantamos no restaurante do hotel.

20200104_055447.jpg
Às 5 e alguma coisa da manhã.

Fora dali, a gente só comeu no Oratório, bar e petiscaria às margens do rio. Ambiente bonito, atendimento bom, mas o menu me decepcionou um pouco. Na verdade, eu estava esperando algo que fosse além de petiscos e pratos com carnes. Talvez, em um outro momento, eu me animasse mais com o cardápio. Acabei pedindo uma porção de batata frita e compartilhando uma carne de sol com fritas, que estava boa, bem passada, mesmo eu não estando no mood de comer carne.

Ficamos dois dias por lá, e acho que foi um período bom, deu para visitar os espaços que a gente queria e ainda descansar um pouco. Então fica a dica: para quem quiser visitar, dois ou três dias é um período legal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s